Talentosos, perfeitos, bonitos, cheirosos, charmosos e modestos:

segunda-feira, 30 de maio de 2011

A Estrada

Vida minha
vida nossa!
Tão cheia de conturbações.

Me abate de sopetão,
Qual o martelo com a noz.

Me vejo em uma estrada,
Completamente esburacada.
Mesmo tentando,
Não consigo pensar em nada.

Há uma hora atrás eu pensava,
Que eram os buracos na estrada,
Quando na verdade,
A roda da minha carroça é que se fazia empenada.

Um comentário:

Rita Loureiro disse...

Como você consegue? me conta vai...

não dá né? eu sei que essas coisas são segredo de poeta...eu nunca vou saber rimar assim,

abraça